05/03 - De Ariquemes RO a Abunã RO - Trecho alagado

O quinto dia de viagem é o que mais nos preocupava, pois seria o grande dia em que saberíamos se conseguiríamos passar nos alagamentos de Rondônia ou não.

Bem, havíamos sido super bem recebidos na casa do Renato do Teneré Club, e é impressionante como em cada canto do país a família que nos tornamos no fórum se solidifica cada vez mais, show de bola!!! Obrigada mesmo por todo carinho e preocupação ;-)

Uma coisa muito legal é que a Cibele havia ido a Cusco a pouco tempo e nos encheu de dicas que estão sendo muito úteis. E o Renato e o Carlos estavam cheios de dicas e histórias pra trocar com o gosto por Teneré em comum rsrs foi legal demais!!!

Bem, saímos cedo... mas não sem antes tirar a foto oficial rsrsrs os fortes do Teneré Club entenderão ;-) rsrsrs




Prestigiando Rondônia e tudo mais, fomos tão bem recebidos nesse estado que só temos boas recordações guardadas.


O caminho sentido Porto Velho foi muito legal, rodovia boa e lindas paisagens. Rios enormes, me senti no Globo Repórter observando pessoalmente as casas sobre as águas, muito legal aprender na prática :-)




Ahhh e ponte, gosto tanto de ponte *-*





Chegando em Porto Velho já era possível observar a quantidade de caminhões esperando para passar, muitos na busca de respostas, mas infelizmente era todo tipo de informação, nada com veracidade ou confirmação, nem mesmo da Polícia Federal.


Devido nossa pressa e preocupação nem deu tempo de encontrar o pessoal da AME-BR de Porto Velho como o Ronny e o Alan, tbm só ouvi elogios dessa galera, logo nos encontraremos pessoalmente por essas estradas, e será um prazer enorme ;-) 



Paramos para almoçar pouco antes de Jaci-Paraná, não seria nada ruim comer com o pé na água assim hein rsrs mas nossa pressa não nos permitia esperar, então seguimos para outro restaurante.


Um lugar simples e com boa comida, o famoso bom e barato rsrs


Continuamos seguindo e logo chegamos aos alagamentos, da rodovia dava pra perceber a água bem próxima ao asfalto, cenário preocupante.



Paramos para observar os carros e caminhões, assim saberíamos mais ou menos a profundidade e veríamos se era possível passar, este foi o primeiro alagamento, num total de quatro. 


Nas partes mais fundas deveria ter uns 30 cms de água, foi tranquilo passar pilotando mesmo, um a menos o/






E motociclista é um caso sério né, volta pra água só pra tirar foto rsrs


Ficamos super felizes em ter passado, e já estávamos achando que se estivesse tudo assim seria moleza passar, mas nossa empolgação durou pouco, uns 2 kms depois, chegamos ao segundo alagamento, e este também não era longo, mas bem mais fundo, e só teria jeito de passar de caminhão mesmo.

O bom é que a Usina de Jaci estava patrocinando os guinchos para travessia até as 18 hs, então saiu na faixa :-D, começou a aventura pra valer rsrs


Era muita água, muita mesmo!!!



Um cenário desolador =/ e infelizmente quem menos tem é quem mais perde =/


O Carlos fez amizade com o cara do guincho e ele disse que conhecia o cara do guincho seguinte, era só falar que éramos amigos do Hélio do Gol Branco rsrsrs contatos é tudo :-P

Rodamos mais um pouco e sempre cercados de água, água e água


Até que chegamos próximos ao terceiro alagamento, havia um policial federal fechando a rodovia, falou que a balsa havia quebrado e ninguém poderia passar, não teria mesmo como atravessar. Conversamos um pouco... ele desabafou como está terrível para a polícia e todo o descaso dos políticos, triste isso =/

Nos permitiu passar para tirar fotos, e realmente era impressionante, 20 kms de água, nada de rodovia =/ 



A tristeza estava começando a apertar, será que depois de tudo alí seria nosso ponto final?


Decidimos esperar, vai que ainda tivesse algum guincho, ou então tiraríamos mais informações com os caminhoneiros... sei lá, um jeito tinha que ter. Esperamos... esperamos... esperamos... até pedimos ajuda para um cara de barco... mas não deu certo =/

Eis que os caminhões e guinchos começaram a aparecer, dava pra observar a profundidade, a coisa estava feia rsrs 



Conversamos com o cara do guincho e ele disse que a balsa já havia voltado a funcionar, tbm citamos o Hélio e não é que deu certo? Rsrsrs estavam cobrando R$200 por moto, mas insitimos e apertamos as motos junto com um carro, assim saiu R$50 cada moto, e finalmente passaríamos :-D


Muita água, muita!!!


Mas apesar da tragédia, o cenário era tão lindo e estávamos tão felizes que não foi possível disfarçar o sorriso, foi risada o trajeto todo, mais de 1 hora em cima do caminhão.





O por-do-sol estava fantástico!!!



E eis que passamos, aos trancos e barrancos... mas passamos, estávamos perto de conseguir continuar a viagem :-D


E parada pras fotos rsrs sempre!!!




Companheiras e guerreiras!!!



Estávamos a uns 20 kms de Abunã, seguimos viagem e a rodovia era só nossa, vários animais na pista... mas deu tudo certo, o trecho estava com alguns buracos mas dessa vez fomos com mais cautela, os riscos do dia já tinham sido mais do que o suficiente rsrsrs

Abunã é uma cidade pequenininha, tem 3 hotéis tão pequenos quanto a cidade rsrs, tinha uns 70 caminhões esperando para passar, nos informamos que a balsa estava funcionando, mas não a noite.

Jantamos num lugar simples a R$10, bom demais, e o hotél foi R$20 cada quarto, não tinha nada mas depois de tudo nosso conceito de exigencia estava beeem baixo rsrs

Até aqui havíamos rodado 3251 kms, faltava pouco :-D



O dia seguinte seria decisivo, era esperar e ir superando cada obstáculo por vez. Como diz um provérbio chines: "A persistencia realiza o impossível", e ao contrário do pessimismo de muitos, estávamos superando cada desafio, a torcida, apoio e pensamentos positivos eram bem mais fortes e fazia tudo ir se ajeitando ;-) assim como tem que ser .

Bora bora, falta pouco!!!




Comentários

  1. caraca que tenso ein ?

    Parabéns pela aventura

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aiai quando achamos que já estava complicado... notamos que tudo pode piorar rsrs logo coloco mais novidades, vlw por acompanhar moço ;-)

      Excluir
  2. Na torcida. Mandaram bem até aqui. Vanderley, Suzano/SP.

    ResponderExcluir
  3. Vc pode afirmar: vi um lindo pôr-do-sol, em Rondônia, da boléia de um caminhão, mas de moto, numa rodovia inundada...kkkkkkkkk Ningu~em no mundo tem esse episódio pra contar..rs

    Abraço,

    haendel

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkkkkkkk só para os fortes Haendel rsrsrs o/

      Excluir
  4. Belíssima aventura, parabéns aos dois aventureiros.

    ResponderExcluir
  5. Muito bom Noelen!!! Uma historia com cada detalhe!!! Obrigado por fazer a gente conhecer e participar desta aventura!!! Show de fotos, show de imagens!! Torcendo para que tudo ocorra bem, com improvisos ou sem, andar de moto é isso!! Barreiras, alegrias, sorrriso, medo, adrenalina.... coisas que juntas se resumem numa só.. FELICIDADE!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Réudson, pois é, viajar de moto é estar sempre aberto para a superação.

      Vlw por acompanhar e torcer

      Excluir
  6. são historias como essas, que faz vôce nunca esquecer um lugar dessa vez não foi na garupa e sim encima de um guincho lindas fotos vqv.

    ResponderExcluir
  7. Vixi Maria, esse relato foi de arrepiar com tanta agua rolando ai, as fotos nem se fala, dá pra ver que o povo está sofrendo muito com tanta agua, uma pena isso num país tão bonito como o nosso.

    ResponderExcluir
  8. muito bonitas as fotos , a poucos dias passei ai , ainda n estava alagado fui ate guajara mirim

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bacana Vanderley, agora está um pouquinho diferente de qdo passou rsrs

      Excluir
  9. Muito bom o relato e as fotos. A determinação de vcs é nota 1000. Continuem com toda essa garra. Parabéns! Formigão SFA

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

18/11 - Ushuaia, o sonho realizado

16/11 - Rumo a Ushuaia, mas incompletos

15/11 - O dia que as coisas não saíram como o planejado