17/03 - A Estrada da Morte que quase nos matou de frio

A Estrada da Morte, a estrada mais perigosa do mundo!!! Essa é a fama que liga a Estrada de La Paz a Coroico, e não são poucos os casos para fazer jus a esse nome. A Estrada possui 64 kms numa altitude de mais de 3640 metros. Foi construída por prisioneiros na década de 30, hoje conta com quase 84 anos de muitas aventuras e tragédias, mas deve ser incrível.... sim, deve, porque chegamos muito perto e simplesmente não pudemos ir =/

No dia 16 choveu muito em La Paz a noite, e no dia seguinte o dia estava incrível, gelado, mas incrível!!!


O Gustavo gentilmente nos levou em direção a estrada para pegarmos a Estrada da Morte, foi ótima a cia dele porque não seria fácil andar em La Paz sem GPS viu.

A saída de La Paz em direção a rodovia é de encher os olhos, simplesmente fantástica!!!






Numa parada perto da represa encontramos dezenas de ciclistas que tbm se arriscariam na famosa Estrada da Morte, o dia estava lindo, céu azul, temperatura agradável perto dos 15º C, o dia prometia ser perfeito, todo mundo na maior empolgação.


O Gustavo nos orientou e o Boni e eu partimos para a aventura, a cada curva mais deslumbrados com as paisagens







Até que depois de uma curva o tempo começou a ficar esquisito...


Uma nuvem/neblina persistente já nos impedia de ver o horizonte...


mas ok, vamos continuar... logo passa...


mas não passou, durante uns 20 kms rodamos com a neblina e pouco depois uma chuvinha chata, que foi engrossando... engrossando.... e nós sem capa de chuva. Até que não teve jeito, paramos um pouco a menos de 2 kms da Estrada da Morte, esperamos... esperamos pra ver se passava e nada =/


O jeito foi abortar a missão e voltar, afinal seria um risco muito grande e não veríamos nada. A todo instante passavam vãs com os ciclistas quentinhos lá dentro, e nós, tomando coragem pra enfrentar a volta.

Molhados, sem capa de chuva, as jaquetas não seguraram muito e uma chuva que ficava cada hora mais intensa, chegamos a pegar 4º na rodovia, imagine nossa sensação térmica =/ As mãos doíam demais, o vento cortava a pele de tão gelado, esses kms não acabavam nunca, e nem dava pra acelerar, asfalto molhado, muitas curvas... a cautela falava mais alto mas o frio judiava demais.

Chegando em La Paz o dia continuava ótimo, mas a chuva tbm estava chegando. Foi duro até encontrar uma lanchonete... naquela situação a vontade era de comer besteira e bem quente de tanta raiva, raiva pelo frio, por termos bobeado e não levado capa e mais ainda pela frustração, tão perto e ao mesmo tempo tão longe. Infelizmente não tínhamos tempo de esperar e tentar ir pra estrada novamente no dia seguinte, então decidimos partir logo sentido Oruro. Mas ainda um problema, precisávamos do SOAT Boliviano. o Gustavo novamente nos guiou ao guiche do SOAT, custou 190 Bolivianos, e não foi fácil de achar, mtos não sabiam onde era.


Enfim, só como informação compramos em frente o departamento de trânsito de La Paz no seguinte endereço:


A Estrada da Morte continuará na nossa imaginação e na lista dos caminho a percorrer, não foi dessa vez... mas é só mais um motivo para voltarmos a Bolívia e curtir as paisagens fantástica que cada curva desse país nos reserva :-)

Bora bora, começando a aventura para o Salar do Uyuni o/

Comentários

  1. Mesmo sem a estrada da morte, foi incrível a jornada. De repente, na próxima eu estou junto..rs Fantástico relato!

    haendel.

    ResponderExcluir
  2. Com direito a compania do mestre Yoda. Aguardando os relatos finais.

    ResponderExcluir
  3. Realmente a Bolívia é linda, as fotos provam isso sem duvida, não dava pra acreditar que o clima mudasse tanto e tão rápido, uma pena.

    Na sua próxima visita a Bolivia com certeza estarei junto e não é de garupa virtual não rsrs

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

18/11 - Ushuaia, o sonho realizado

16/11 - Rumo a Ushuaia, mas incompletos

15/11 - O dia que as coisas não saíram como o planejado