07/03 - De Xapuri AC a Puerto Maldonado - Perú

No dia 08/03/2013 escrevi aqui no blog minha determinação de em 2014 ir pro Perú. Até o momento eu não sabia nem com quem, nem para onde, nem com que dinheiro faria isso, mas decidi!!! Quase que um ano depois eis que realmente estava realizando esse objetivo, e de moto, exatamente como sonhei!!!

Mas senta que lá vem história...

Xapuri AC é muito conhecida como a cidade do Chico Mendes, ok, confesso, só descobri isso por causa de uma placa na entrada da cidade.... mas agora eu sei rsrs. Infelizmente em São Paulo quase não chegam informações sobre o Norte, lembro de ter visto algo por cima na televisão sobre o fato de nunca terem chegado ao veredito e a punição dos culpados depois de tantos anos.... mas era só, não sabia mais nada a respeito.

A cidade é muito simples e pra vários lugares que se olha fazem referência ao Chico Mendes e aos seringueiros: nomes de ruas, placas dedicatórias, nomes de comércio... decidimos aproveitar alguns minutos e conhecer um pouco mais a história.


Visitamos a casa que o Chico morava, e que por sinal é onde foi assassinado.


Confesso que achei a visita chocante por entender a situação e imaginar a cena. Ainda há vestígios de sangue nas paredes, fotos dele com os filhos, roupas, máquina de escrever... tudo muito simples numa casa comum, mas que pertencia a alguém destemido e que foi muito perseguido por lutar pelo que acreditava.


Uma das coisas mais chocantes e revoltantes foram algumas fotos do julgamento do assassinato onde aparece na assistência vários políticos populistas que hoje nos envergonham tanto, é como dizem, se quer conhecer alguém, de poder a ele, mas ainda assim, em memória o apelo continua: 


Enfim, foi algo que nos fez refletir, e na assinatura do livro, deixamos nossa marca rsrs tbm somos cultura né :-P
 

Uma cena inusitada é que devido as inundações em Rondônia, vários postos no Acre estavam sem combustível. Ainda bem que eu havia enchido o galão em Porto Velho, me salvou.


Outra coisa, sou bicho da cidade mesmo, onde compramos leite em caixinha e frango congelado, as situações abaixo foram muito curiosas, leite chegando em galão na padaria.


E o frango delivery, ainda vivo o.O


Tbm lembrei do XOL ao ver uma igreja com nome diferente rsrs fica aí o registro rsrs


Depois do banho de história, pegamos a estrada, faltavam uns bons kms ainda para o Perú.






A Estrada do Pacífico tem vários trechos que estão em péssimo estado de conservação, isso quando ainda tem asfalto. Em Brasiléia ficou terrível, sujo, desorganizado, nem pensar em passar por um lugar assim a noite, um risco a segurança.





Durante todo o percurso usei a gasolina do galão, e mal podíamos esperar pra entrar no Peru e finalmente abastecer pra valer as motos.

O processo para passar na Alfândega é tranquilo, sendo necessário apenas apresentar o passaporte na Policia Federal para que eles deem saída do País.




Por aí ainda tem a cidade de Assis Brasil caso precise de algo, mas decidimos partir direto para Iñapari - Peru que fica logo em seguida, bastando continuar reto na rodovia.

A primeira coisa a se fazer é se dirigir a Aduana e dar entrada pessoal e da moto no país. Basta apresentar o passaporte, preencher um formulário como o modelo abaixo e entregar lá mesmo. Nesse momento se recebe o canhoto que deve apresentar qdo for sair do país


Logo em frente é onde se dá a entrada da moto, os policiais são atenciosos e direcionam certinho.


Para dar entrada da moto é necessário o xerox de 4 documentos:

  • passaporte
  • CNH ou PID (O PID não foi obrigatório, a própria CNH teria servido) 
  • Documento da moto em nome do condutor - perguntamos pro cara como seria se a moto fosse financiada, ele nos disse que simplesmente não permitiria a entrada no país. Já achei na internet gente que pegou declaração, homologou e certificou no consulado... mas ainda assim é contar com a sorte, é obrigatório que o nome no documento da moto seja o mesmo do condutor.
  • E o xerox do próprio canhoto que recebeu quando deu a entrada pessoal no país



Todo esse processo não custa nada, e o xerox pode ser tirado ali do lado mesmo nas casas de câmbio.

Nessa parte ainda se aceita bem o real, e há várias casas de câmbio por ali, mas no nosso caso como estávamos com dólar, nos informaram que seria melhor trocar mais a frente.

Em Iñapari comemos pela primeira vez no perú e finalmente experimentamos a Inca Kola, refrigerante muito comum por aqui, mas sinceramente... não faço questão de tomar novamente rsrs uma mistura de groselha com tutty-frutty rsrs sei lá


As estradas peruanas são fantástcas, simples mas nenhum remendo, buraco, sujeira.... um paraíso. O policial que deu entrada da moto na fronteira falou que o limite de velocidade é 90 kms/h, mas até Puerto Maldonado só vimos placas de 60kms/h, no início até respeitamos, mas depois encheu o saco e partimos para perto dos 100kms/h, mas sempre atentos. 


Eu estava curiosa sobre como seriam os postos, se seria fácil achá-los.... e sim, é moleza, fácil identificar. Nas placas colocam o valor do galão, e não litro como nós, mas no fim estamos pagando quase a mesma coisa que no Brasil.



A rodovia é pedagiada, mas assim como no Brasil, motos são isentas, passando a direita das cabines.


Sinceramente achamos os "motociclistas" daqui doidos, não usam equipamento de segurança, nem mesmo capacete, e a coisa mais normal do mundo é ver 3 - 4 pessoas em uma moto, e isso em todos os lugares. Bebes sem nenhuma proteção sentados em cima do tanque enquanto o resto da família se aperta no banco. 


Por onde passávamos todo mundo olhava, tava na cara que éramos de fora, com nossos capacetes, luvas, jaquetas.... as crianças as vezes saiam correndo em direção a rua para nos dar oi com as mãos, um carinho enorme que não esqueceremos.

Enquanto estávamos dando entrada no país, o policial nos orientou a necessidade de se fazer o SOAT, mas disse que em Puerto Maldonado encontraríamos preços melhores, como a $ 25, diferente dos 115 soles que nos cobrariam na fronteira. Bem, chegamos a Puerto Maldonado no final da tarde e preocupados em fazer o SOAT, mesmo já tendo ouvido vários casos de motociclistas que foram parados e se deram mal.... preferimos arriscar, o que foi uma furada. Entramos na cidade procurando fazer o SOAT e foi cobrado 105 soles, pelo risco essa diferença acaba nem compensando muito. 


O trânsito de Puerto é terrível e só tem doido, muitas, muitas, muitas motos que surgem de todos os lados, retornam em qualquer esquina, buzinam o tempo todo...e sem segurança nenhuma.

Estávamos exaustos e escolhemos um hotel um pouco melhor, custou 100 soles por quarto, agora... preciso falar do chuveiro? Adivinhem....


Jantamos por lá mesmo e aproveitamos para descansar, daqui pra frente o Giro latino começa pra valer ;-) Bora na garupa \o/

Comentários

  1. Uma dica melhor que a outra, show! E a partir daqui vou rezar para que vcs encontrem um chuveiro quente rsrs

    ResponderExcluir
  2. Chuveiro quente! Ebaaa! Kkk
    Bom demais seu relato! Muito animado aqui!
    Good trip!

    ResponderExcluir
  3. muito bom Noellen, seus relatos; sou Andarilho, aqui de Rolim; estou viajando junto... sei como é difícil deixar o blog atualizado em uma viagem dessa; a noite a gente cansado, seleciona fotos, e vai lembrando dos detalhes... nomes... não é fácil; mas tenha certeza de que vale a pena; também escrevo quando estou viajando e sei como é... continuarei aqui, esperando o próximo capítulo. A propósito gostaria que você, juntamente com seus leitores visitassem meu blog; e se possível virassem membro, para me ajudar com meus futuros patrocínios; desde já obrigado. Um abraço para você e para o Carlos também; ele disse aqui, aquele dia dos desempenos dos aros, que ele não sabe pra onde tá indo, só vai te seguindo, kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk; http://andarilhoexpedicoes.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. parabéns agora vc é motociclista internacional brincadeira mais estou adorando as fotos e relator acho que vai rola até um livro sempe acompanhando blog e face na garupa e vqv

    ResponderExcluir
  5. Noellen você é impossíve, menina! ,está demais seu blog e seus relatos, é um sonho meu também fazer uma viagem assim. aprendi muito com você: SOAT,PID,ADUANA ETC....
    Obrigado e boa sorte bjs.

    ResponderExcluir
  6. Noellen, não consigo ir dormir sem procurar por seus relatos atualizados.
    Depois de 1 dia sem notícias até me preocupei, mas ao ler suas aventuras mais dramáticas, vejo que acabou se saindo bem. É durona mesmo.
    espero na volta poder te conhecer pessoalmente, voce me inspira!
    Ai se eu fosse jovem como voce, teria aproveitado muito mais a vida! Mas eu meus 51 anos apesar de começar tarde, tenho muitos projetos pra fazer e já animei o maridão rsrsrsrsrs
    Boa sorte em tudo!
    Zila

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Zila, estava revendo os comentários e o sorriso voltou ao ver o carinho de tantos durante essa viagem rsrs seria um prazer enorme nos conhecer pessoalmente, logo nos encontramos na estrada ;-) bjs

      Excluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

18/11 - Ushuaia, o sonho realizado

16/11 - Rumo a Ushuaia, mas incompletos

15/11 - O dia que as coisas não saíram como o planejado