16/11 - Rumo a Ushuaia, mas incompletos

Tem momentos em que temos que aprender a agir com a razão!!! É muito difícil pensar dessa forma, mas é necessário!

Como descrito no post anterior, no dia 15 tivemos muitos problemas, o Carlos e o Kpot estava a mais de 300 kms de nós e estávamos sem conseguir comunicação com eles. Pra piorar, o Kpot havia perdido o celular quando estávamos em Puerto Pirámides, então através dos amigos apenas sabíamos que eles estavam bem, só.

Em San Sebastian não tinha nada, e estávamos a 10 kms da fronteira, onde teria gasolina e internet. Partimos cedo pra lá, saindo do chalé num frio lascado, mas ansiosos por procurar notícias.

Mais uma fronteira...


E uma feliz surpresa, conhecemos um casal de ingleses (se não me engano) que estavam partindo para o Alaska, um sonho tbm... :-)


 

Logo após a fronteira tinha um posto e um hotel com wi-fi, fomos imediatamente pedir a senha na maior cara de pau kkkk e ficamos lá, comprei um alfajor só pra não abusar demais deles rsrs. Por lá, recebemos finalmente os recados do Carlos e do Kpot, eles já haviam se encontrado, e ficariam por lá pra resolver o problema. Eles sugeriram que partíssemos e os esperassemos em Ushuaia. Pela minha vontade, ficaríamos nesse hotel mesmo, na fronteira, esperando eles. Se pudesse, eu queria era ter voltado... :'( , mas lembram da parte da razão? Ficar ali esperando não ajudaria em nada, só serviria para termos um dia perdido e angustiante, então, juntos, decidimos que realmente iríamos seguir, e esperá-los no hostel, já em Ushuaia.



O caminho é lindo, vários picos nevados...


...lagos  com uma cor deslumbrante...


... mas praticamente não tiramos fotos, queríamos rodar... rodar... e chegar logo. Sinceramente, eu já estava cansada de tantas retas, tanto vento, tanto frio... as mãos doíam por estarem tão geladas, uma.. duas.. tres luvas... e ainda as plásticas cirúrgicas... nada protegia, nada era o suficiente. Nas viagens anteriores sempre escrevia que estávamos onde desejávamos estar, e este dia foi o primeiro dia que sinceramente não era o que eu queria. Foi muito ruim (e falo por mim que foi triste) entrarmos só nos três na cidade, não teve foto do grupo no portal e nem mesmo o abraço de conquista que o afilhado e eu já demos em tantos lugares.

Um motociclista nos levou até o Hostel Los Cormoranes, em Ushuaia. Eu não queria ficar no hostel, queria sair pra fazer a hora passar... então mesmo sozinha fui dar uma volta e chegar na famosa placa.



Como muitos sabiam dos problemas que tivemos, gravei uma breve mensagem sobre ter chegado em Ushuaia. Antes de gravar fiquei um tempão parada em frente a placa só observando cada detalhe, olhava em volta...e aos poucos, mesmo querendo que meus amigos estivessem lá, saiu um sorriso do meu rosto, porque esse objetivo foi conquistado.



No meu quarto, tenho a seguinte frase colada na parede:

"A vida é curta
quebre as regrras
perdoe rápido
beije lentamente
ame verdadeiramente
ria descontroladamente
e nunca se arrependa
de nada que lhe fez
sorrir"

Essa era minha sensação, não foi fácil, ainda não estávamos completos... mas esse breve instante me fez sorrir.

Agoooora é esperar o pessoal chegar e começar a curtição, bora para o próximo dia?

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

18/11 - Ushuaia, o sonho realizado

15/11 - O dia que as coisas não saíram como o planejado