26/03 - Terras tupiniquins a vista \o/

Como já dizia a música "O meu país" do Zé Ramalho:

"Um país onde as leis são descartáveis
Por ausência de códigos corretos
Com quarenta milhões de analfabetos
E maior multidão de miseráveis
Um país onde os homens confiáveis
Não têm voz, não têm vez, nem diretriz
Mas corruptos têm voz e vez e bis"



Mas sim, é o nosso país, e apesar de tantos problemas, tantas injustiças e tanta coisa errada... ainda é muito bom voltar para o Brasil, estávamos com saudade :-)

Saímos de Posadas pela manhã ansiosos por chegar logo ao Brasil, ouvir o português, comer arroz com feijão... o Boni ficava até dizendo que ia beijar o primeiro borracheiro que visse, sorte dos borracheiros que não encontramos nenhum kkkkk :-P


Como queríamos entrar por Santa Catarina, pegamos a RN 14 achando que ganharíamos tempo, mas pegamos uma serra que embora tinha um bom asfalto não tinha nada de estrutura, ou seja, passei aperto com combustível de novo =/


Pra frente de San Pedro a estrada ficou mto bonita :-)




Na fronteira foi super tranquilo, bastou dar nossa saída com os passaportes, nada de burocracia ou espera. Até fomos confirmar na polícia federal se era só isso mesmo, praticidade e agilidade entre Brasil e Argentina? Era pra se desconfiar..



Exaustos, com fome... bom humor era algo que estava longe de mim viu =/ 


Apesar da saudade do Brasil... ela quase passou na estrada, seguimos em direção ao Rio Grande do Sul para a última atração e foi terrível!!! Estrada em obras, esburacada em vários trechos, pouca sinalização... um verdadeiro lixo de rodovia, revoltante passar por lugares assim ¬¬'


Nos hospedamos em São Miguel do Oeste, lugar tranquilo, agora como não tinha mais dinheiro sobrando vamos voltar ao modo econômico nas hospedagens rsrs


Até aqui foram 8446 kms rodados, boa aventura e muito chão hein \o/



No dia seguinte Salto de Yacumã, último atrativo da viagem.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

18/11 - Ushuaia, o sonho realizado

16/11 - Rumo a Ushuaia, mas incompletos

15/11 - O dia que as coisas não saíram como o planejado